Era uma vez um guarda-chuva....


O guarda chuva é algo mágico, que serve para muito mais que nos proteger da chuva(...)


Seja num desenho, na ficção ou num terreno fértil de criatividade, o guarda-chuva guarda além da chuva, os nossos segredos e mistérios tantos, que cabem perfeitamente embaixo dele.


Você conta seus segredos para qualquer um?


Você abriga qualquer um sob seu guarda-chuva?


Bem Vindos ao My Umbrella...

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Oração Poética (título dado por Bruna Landim)

Deus,
primeiro de tudo
eu queria agradecer
agradecer por estar viva, por estar aqui neste momento, por ter a dádiva
que se chama presente. 

Eu sei que na verdade sou apenas um ser humano
tentando achar o motivo da curta existência Neste breve espaço de tempo, que é a vida. Sei que talvez nem seja um direito meu, ou da minha capacidade, entender o mundo, mas me explica, me explica o porquê.


Me explica por que tenho o dom de saber quando as pessoas mentem 
num mundo onde a boa convivência depende disso 
Me explica por que tenho a bendita sinceridade, que vem indomável na boca 
num mundo onde ela de nada me serve além de  fazer intrigas 
Me explica minha incapacidade de dançar conforme a música, de usar máscaras, de ser maleável, de manipular, de ser manipulada, de usar a hipocrisia como principal arma,
sendo que essas são as qualidades principais da sociedade 
Me explica essa mania de defender o mais fraco
ao invés de pendurar-me e subir com o mair forte 

Deus,

Me faz entender o por que do meu peito doer forte à descoberta das mentiras, de antes e as do presente, àquelas que me são ditas na frente, cara a cara 
Me faz entender a capacidade do ser humano, de destruir e pisar no outro, não só por necessidade, não só por interesse, mas por prazer
Me faz entender por que penso em caridade e sinceridade 
num mundo onde a crueldade é vista como força
Me explica a tentativa de honestidade, de amizade
num pedaço de mundo onde as pessoas usam e abusam das outras, mascando-as como chicletes, e depois as cospem fora

Deus,

Me explica o por que da minha insistência em acreditar, acreditar e acreditar
quando o que mais vejo são pessoas destruindo umas às outras, enquanto se acobertam por religião, por profissão, por cargo, por situação financeira
Me faz entender a repressão em cima do meu jeito: querer entender, ao invés de apenas obedecer
Me explica onde, quando apenas indago as coisas, estou afrontando alguém
Me explica o por que dessa incessante busca por alguém  que me entenda, que me ouça, que queria também, viver num mundo um pouco mais simples, sendo apenas o que somos
Me explica por que me sinto tão só, num mundo infestado de gente
Me diz o que fazer, num mundo onde o que é errado é certo, e o certo é apenas uma maneira de justificar o errado
 Me explica por que as pessoas dizem ser boas, ou procurar fazer o melhor por outras quando no fundo pensam apenas em como ser melhores que estas outras pessoas
Me diz quando vão reconhecer o meu valor, ao invés de só apontar meus defeitos e agir apenas pensando neles

Deus, 

Me explica essa minha incapacidade de mudar, mesmo apanhando, mesmo sofrendo, mesmo perdendo, mesmo doendo
Me explica o por que dessa incompreensão humana, quanto ao diferente, ao puro, ao simples, ao verdadeiro
E me perdoe, pela minha incompreensão, perante este mundo, perante a tua criação, perante mim mesma, 
e perante a dor que me fazem sentir, por não conseguir aceitar tudo isso.

2 comentários:

Garotinha Ruiva disse...

o explique foi trocado por explica por causa da sonoridade da palavra

Bruna Landim disse...

Foi linda a oração poética. Podia trocar pra esse título ahahah.. Mas, a sua produção mais linda agora, mais madura e com personalidade.

Um abraço!