Era uma vez um guarda-chuva....


O guarda chuva é algo mágico, que serve para muito mais que nos proteger da chuva(...)


Seja num desenho, na ficção ou num terreno fértil de criatividade, o guarda-chuva guarda além da chuva, os nossos segredos e mistérios tantos, que cabem perfeitamente embaixo dele.


Você conta seus segredos para qualquer um?


Você abriga qualquer um sob seu guarda-chuva?


Bem Vindos ao My Umbrella...

terça-feira, 22 de setembro de 2009

22 de setembro, manhã, chove...

Hoje é o primeiro dia de primavera. Ele sempre vem chuvoso, triste. A tristeza, não sei por que, é úmida e fria. Exatamente como este dia. Mas perder a esperança e deixar-se tomar pela tristeza, apesar de inevitável é desnecessário. Vem a chuva e a umidade, as goteiras e o desânimo, e logo após o brilho de Sol e as flores desabrochando...E o colorido voltará.

A suavidade do nome deste blog me pedia um template claro, de algum tom pastel. Não encontrei um que me passasse o sentimento que o nome me passava, além deste. Suave...Delicado. Mas é cheio de pequenos detalhes. Pensei em algo mais simples...Mas vou continuar procurando...
Há uma mistura de sofisticação e simplicidade em mim; a pureza me comove e me atrai muito, mas glamour, coisas extravagantes também chamam minha atenção. Nada muito chamativo, mas diferente, ousado e impetuoso. O novo é sempre novo e atraente, nem por isso precisa estar cheio de gloss...


Sou um baú de avó, cheio de quinquilharias, caixinhas de música, lenços coloridos, alguns colares de pérola. E roupas antigas, de preferência aquelas medievais de decotes princesa e sombrinhas com babados; retalhos de diversas cores e texturas, como se cada pedaço da vida esperasse ser costurado. Sou as conchas brancas que ganham cor devido à aspereza do tempo e do mar: torno-me rosa bochecha, cinza mofo, tons de marrom...Guardo o som misterioso da natureza, das profundezas do azul.

Sou a caixa de Pandora, dentro de mim há a alegria,tristeza, momentos de dor, desespero,a coragem e o medo de tudo, as máscaras, a classe que a sociedade me impõe e a mania de tocar na comida com os dedos. Há toda a má água com a qual luto constantemente para não me deixar tomá-la(mágoa), há o amor, as desilusões e o carinho que tenho pelas pessoas. O ódio pelo mundo e pelo ser humano e a compreensão que tenho por ambos. Sonhos, chuvas, paixões e tempestades. Orvalhos de dias que vi amanhecerem, momentos doces e puros, insubstituíveis, e irretornáveis, sorrisos sinceros. Declarações, suspiros, borboletas na barriga e aquela que sempre fica: a esperança.

Sou um guarda-chuva que guarda segredos, e os abre pouco a pouco, abrigando um ouvinte de cada vez.

1 comentários:

Samara disse...

incrivelmente você está certa, mas o curioso é que esse tempo me fascina, acho lindo o cé nublado e o tempo chuvoso, será q isso reflete algo dentro das pessoas?Sua preferencia pelo tempo?Acho que sim, afinl tudo que pensamos reflete em nós mesmo querendo ou não isso, né?