Era uma vez um guarda-chuva....


O guarda chuva é algo mágico, que serve para muito mais que nos proteger da chuva(...)


Seja num desenho, na ficção ou num terreno fértil de criatividade, o guarda-chuva guarda além da chuva, os nossos segredos e mistérios tantos, que cabem perfeitamente embaixo dele.


Você conta seus segredos para qualquer um?


Você abriga qualquer um sob seu guarda-chuva?


Bem Vindos ao My Umbrella...

domingo, 7 de novembro de 2010

Poema

Quando Ismália enlouqueceu,
e todas as palavras desapareceram para mim
fiquei sem ler o poema, pensando em Ismália
em cima de um lugar, como uma ponte ou um farol,
a torre dum castelo
cabelo esvoaçante e sua pele arrepiada
e a morte certa

E como adoro estes poemas...Como me encaixo neles assim fácil
eles roubam meu coração e tomam meu sangue e eu fico
com a dor apertando o peito vazio
amando cada palavra

O poema é um sussurro inconsequente
inconveniente da verdade
me poda, me amarra, me ganha
me joga, me cospe, me ama
o poema é a música dita por alguém
com a nossa própria voz
no escuro da sua mente
as palavras ecoam vorazes
sussurrantes
sedutoras

Dor, amor, pranto
me envolve, e lá vou eu parar num minuto para dar ouvidos a ti

Tu me dá a vontade de tingir meus pés com o branco do dia de amanhã

3 comentários:

Anônimo disse...

Amei o que voce escreveu...tive a mesma sensação quando li esse poema..."queria a lua no ceu, queria a lua no mar...."tadinha mesmo....

Marcos Lessa disse...

o sonho em que se perdeu,
Banhou-se toda em luar...
Queria subir ao céu,
Queria descer ao mar...

toda vez que leio Ismalia eu a fico de longe pensando como esse poema e tão simples, mas tão cheio de sentido.

.anabêa disse...

esses nossos constantes apelos poéticos para expressar nossa alma,e você o faz lindamente i.i
fiquei TÃO FELIZ que curtiu o blog,virarei freguesa aqui,se prepare o.u

.kisses ruiva