Era uma vez um guarda-chuva....


O guarda chuva é algo mágico, que serve para muito mais que nos proteger da chuva(...)


Seja num desenho, na ficção ou num terreno fértil de criatividade, o guarda-chuva guarda além da chuva, os nossos segredos e mistérios tantos, que cabem perfeitamente embaixo dele.


Você conta seus segredos para qualquer um?


Você abriga qualquer um sob seu guarda-chuva?


Bem Vindos ao My Umbrella...

domingo, 14 de março de 2010

Coragem

Entrou no quarto grande e branco. Era grande, cheio de macas, azulejos brancos. A luminária verde que reluzia nas paredes brancas e deixava o teto verde. Parecia pintado de verde bem claro, mas era branco. O verde, cor do equilíbrio, diziam, tranquiliza.
Entrou e passou pelas pessoas de branco, foi guiada até uma das macas. Deitou, jogaram-lhe por cima um lençol fino. E na maca não havia travesseiro. Havia o frio do ar condicionado, e os pensamentos à mil, juntando-se as vozes que ouvia, e os pensamentos que lia. Um deles, vendo os olhos perdidos, chegou perto e disse: feche os olhos, concentre-se apenas em você. Esqueça os outros.
A ficha que dizia seu nome estava sobre seus joelhos. Ficou deitada imóvel. Os braços ao lado do corpo. Esperando o desconhecido e a dificuldade em mandar embora os pensamentos alheios, as vozes alheias, os vultos transitando.

Então veio um deles. Um dentro do corpo de uma mulher. Não se lembrava do nome do doutor, havia um crachá, mas os olhos dela eram doces. Encaravam fortemente, e pareciam estar em outra dimensão, muito abertos. Havia algo diferente. Era como um bêbado, que não fixa os olhos, mas não olha para os lados. Olhava para dentro.
- Como você vai filha?
-Vou...Mais ou menos.
- Se estivesse bem provavelmente nem estaria por aqui não é mesmo ^^?
(...)
 A conversa seguia, mas parecia um monólogo. Havia uma pergunta, e às vezes nem havia. Às vezes só haviam respostas. A pessoa de avental sabia o que se passava, cada pensamento. Não era necessário que ela abrisse a boca. Tudo era lido, tudo era conhecido. Mesmo que todas as dúvidas não saíssem da boca, vinham respostas:
- Por que você dá atenção às outras pessoas e não à você? Cuide de você, pense em você. Ame à você. Filha, você é merecedora, batalhadora, mas está se esquecendo de você mesma.
Silêncio.
-E tem pressa. Quanta pressa. Suas mãos são frias, seu suor é frio. Porque seus pensamentos são rápidos, e  as tuas mãos não conseguem acompanhar. Elas querem fazer, mas você não dá o tempo. Filha, de que adianta comer o fruto verde? Não será uito mais saboroso, se o fruto for colhido no tempo certo?
Silêncio. E a vontade e chorar. Mas tudo, tudo seco. Os olhos secos, como se não houvessem lágrimas.
- Medo. Medo de quê? De não trilhar o caminho certo. Há uma vida querendo sair e viver aqui( e toca o peito, com um pedaço de cristal branco na mão), e você segura. Filha, chega de pensar pensar pensar. Pensar no que os outros vão pensar. Pensar se vai ou se fica. Não se caminha em cima de um muro. Já vi gente presa ao passado, mas nunca vi alguém preso ao futuro. Tu, filha, estás presa no futuro. Deixa ele vir no tempo, sem medo. Se você quer chorar, chore. Se quer gritar, grite. Não há problema em errar, em cair. Se você se levantar e fazer melhor. Por que esse teu medo de errar?
-Quero fazer tudo certo.
 - E quem é perfeito neste mundo? Diz pra mim?
Silêncio. Nó na garganta.
- Se acostumou a não chorar. Agora o choro se prende em dor de cabeça. O nariz se entope, na desculpa da rinite. O coração se aperta na desculpa da arritmia. Os olhos incham na desculpa da alergia.  Já percebeu que são sintomas de choro? Isso é choro contido. E já vi muito aqui, nesta maca. O mundo está doente não é de stresse, é do sentimento.
Pegou na mão dela, forte, mais forte que muitas pessoas, e um turbilhão passou de uma mão para a outra. Havia um calor forte, esquentando a mão fria. A outra mão com o cristal foi passado no rosto, com movimentos suaves, em determinado momento, o cristal cortou a testa, foi o que ela sentiu, um corte. Podia sentir a abertura na testa.
- Vou lhe dar uma palavra. Porque uma palavra é fácil de guardar. Vou lhe dar uma palavra, para você guardar até o resto dos seus dias. E quando você acordar você se lembrará dela. E quando quiser chorar, quando quiser gritar, quando a dor for insuportável, você se agarrará à ela: Coragem. Coragem filha. Porque esse é o significado do teu nome. Esse é o significado da tua existência. Coragem.
Não caindo as lágrimas. Não movendo-se, pela mão que passava calor, e arrepiava todo o corpo, como se houvesse muito frio. Podia ver algo fluindo, uma energia grande. Conduzindo todo aquele corpo, os olhos. Ela olhou de forma terna. Por um momento, a médica parecia esboçar um choro. Fechou os olhos e beijou a testa.
-Você é muito amada. Você é uma filha querida. Tenha força. Eu sei que você por vezes quis desistir. Mas nós nos esforçamos, e você continua aqui conosco. Nós nunca vamos abandonar você, então não nos abandone.
Foi colocado um pequeno curativo na testa. E ela foi levada para fora da sala. Ainda tinha as mãos trêmulas, o coração aberto. Embaixo do pequeno curativo, não havia nada. Nada, nem um arranhão. Mas  ela toda sentia como se uma fresta enrome houvesse. Nela toda, no peito, no rosto. Ela se sentia um portal aberto. E todos aqueles que a olhavam viam, as lágrimas que não caiam. E ao mesmo tempo, algo nela sabia, que ela não era a única. Todos ali, eram frestas abertas, com lágrimas e dores. Mas seus sorrisos ternos consolariam uns aos outros. Parou de ouvir tantas vozes. Por instantes pequenos, o caminho parecia leve, como num sonho.



Eu poderia dizer que isto foi "baseado em fatos reais". Mas, isto não foi baseado, isto é real. Aconteceu deveras, e deveras foi emocionante. Houveram muitas conversas como essas, e presenciei, e fui paciente disto. Chega uma hora em que não há mentiras, porque não há perguntas que levam à respostas, há apenas respostas. Não acredito nisto como uma religião, mas acho que, quando tocamos na verdade, nos sentimos bem, nos sentimos vivos. Há alguém que sabe sobre você, sem você dizer nada. Se isto não é real, então realmente estamos na Matrix =)
Me lembrei desta experiência e quis compartilhá-la. Se puderem, experimentem.

4 comentários:

André disse...

Eu consegui enxergar tudo quando lí...
Ja passei por coisas desse tipo (como se você não soubesse né...) Tudo isso existe, aliás isso é mais real do que a própria realidade...

(suas mãos tão menos frias ultimamente) = )

Marcos Lessa disse...

O realismo das tuas palavras nos transpostas para seus pensamentos.Serio.... faleu por passar la no Blog

Amara disse...

Às vezes acredito que vivo num mundo Matrix...
Mas uma dúvida ficou em minha mente...poderia me explicar melhor "como" isso aconteceu???

Weslley Rocha disse...

Simplesmente, lindo!
E CORAJOSO de sua parte de compartilhar.