Era uma vez um guarda-chuva....


O guarda chuva é algo mágico, que serve para muito mais que nos proteger da chuva(...)


Seja num desenho, na ficção ou num terreno fértil de criatividade, o guarda-chuva guarda além da chuva, os nossos segredos e mistérios tantos, que cabem perfeitamente embaixo dele.


Você conta seus segredos para qualquer um?


Você abriga qualquer um sob seu guarda-chuva?


Bem Vindos ao My Umbrella...

sábado, 31 de outubro de 2009

Sobre escrever....

Sou o fogo em pessoa
Não sei como é ser cabeça-fria
Penso demais
Demais para a cabeça, demais para uma pessoa normal,
demais para o mundo
As mãos não me acompanham
É demais a vontade de escrever
É demais o que tenho a dizer
As mãos não me acompanham
Suo frio, as mãos suam frio
Fico gelada como se estivesse frente a algo terrível.
E às vezes digo o que quero dizer
E às vezes, o texto simplesmente não sai.


Escrever. Dá medo a palavra. Redação. Ouço suspiros só de pronunciar. Como uma coisa tão simples para alguns pode ser tão difícil para outros?
Escrever não é só colocar o lápis no papel. Isso é rabiscar, rascunhar. Mas escrever mesmo, é o produto final. Antes disso, muito antes, existe toda uma máquina de engenhocas girando dentro de você. O tema. O desejo de dizer algo leve, ou polêmico, ou causar discórdia, dor, emoção. A Introdução...Depois, você falando consigo, procurando as informações em cada canto do cérebro que conhece sobre o tema. Afunilando, o que  é bom e o que não é. Qual é minha opinião? Isso defende meu ponto de vista? Esse argumento é um bom argumento. Sobre esse tema, eu nem tenho argumento. O tempo...Já faz 40 minutos que você começou isso, termine, o tempo é curto...Aconclusão....Hummmm, a Conclusão...Doeu alguma coisa aí? Aí você coloca uma pergunta, ou uma resposta para tuas questões...É, ta feito o rascunho. Agora escrever de verdade. À caneta. Nessas linhas pequenas e horrorozas, que não me despertam nenhuma vontade de dizer nada. Escrever, é o produto final. Antes disso, muito antes, teu desejo de dizer algo para o mundo. Seus pensamentos, sua experiência, sua vida. Sua individualidade, sua identidade única. A sua foto no R.G. não é você de verdade. Aquela é uma foto para um documento, é só mais um número. Não inclui suas vivências, emoções, sorrisos, lágrimas. Nem tua briga com o último namorado, nem as contas pra pagar. Você não é feito de números nem diplomas. Vc é aquele ser que faz com que milhares de outros seres quebrem a cabeça nos editais de provas para te impedir de burlar as regras. Você é aquele que revoluciona, inventa, arranja desculpas. Você é aquele que destrói tudo e que renova tudo, renascendo do nada. Tudo o que você toca vira uma merda, e tudo o que você faz é recheado de vida, instinto, rebeldia. O sentimento é aquilo que você tenta racionalizar, mas você sabe que é absolutamente normal  perder o  controle. Ainda assim, você sente que está tudo em ordem quando assiste o jornal de domingo sentado no sofá, mesmo que a notícia seja uma Tsuname no outro lado do mundo. Você é o dono da tua vida quando dirige o teu carro e o horóscopo falou que hoje as questões finaceiras seriam resolvidas e a cor do dia é dourado. Você é o rei da casa quando ameaça teus filhos, mesmo sabendo que medo não significa respeito. Você chora porque as amigas não te convidaram pra festa com o pessoal da classe toda pro fim de semana, e você sente que manda no mundo quando o papai te compra tudo o que você quer. Você acha que sabe o que é melhor para o outro porque o que você deseja é o melhor para o outro. Você é o animal pensante como se autodenomina. E tem coragem de dizer, meu amor, que não tem nada a dizer sobre si mesmo, ou sobre o mundo ao escrever. Que ler é algo chato, mas você não experimentou ainda, não de verdade. Você come, consome, se locomove, dentro do teu país, de uma forma que está aí, todos os dias na tua cara, e me diz que não sabe nada sobre, ou que não gosta de política. Você usa as suas armas à seu favor? Você usa os livros, a internet, toda a tecnologia e modernidade à seu favor, ou para infernizar a vida de outrem? Será que não é exatamente isso, o que eles querem? Você sabe quem são eles? E você me diz, meu bem, que não gosta de ler, escrever, que não tem conteúdo...
O pior escritor, é aquele que não quer ler.

1 comentários:

Bruna Landim disse...

hehehhe.. Boa! "O pior escritor, é aquele que não quer ler".. hahhaha